sábado, 5 de junho de 2010

Nova Orleans teme contaminação de manguezais por mancha de óleo



LOUISIANA, EUA (AFP) - Traumatizada pelas devastadoras inundações provocadas pelo furacão Katrina, há cinco anos, Nova Orleans teme agora pelos manguezais que protegem seu entorno, ameaçados pela mancha de petróleo que se aproxima.
PUBLICIDADE

Com bairros inteiros abaixo do nível do mar, a cidade do jazz está rodeada de diques e muros de contenção instalados ao longo do rio Mississipi e do lago Pontchartrain.

Mas o furacão Katrina de agosto de 2005 provocou várias rupturas nas barreiras de proteção, o que provocou a morte de quase 2.000 pessoas nessa cidade fundada há três séculos por imigrantes franceses.

Os diques funcionam como último escudo. Antes, estão os manguezais, que ajudam a tardar o avanço do mar.

Com a nova temporada de furacões já prevista, Nova Orleans poderá voltar a ser prejudicada com o aumento do nível do mar, tal como ocorreu há cinco anos. A cidade está localizada a cerca de 50 km da costa do Golfo do México.

Mas desta vez, a água vem com material tóxico para a fauna e para a vegetação: o petróleo que há mais de seis semanas vaza nas águas do Golfo.

"Poderemos ver petróleo na cidade de Nova Orleans", disse David Muth, chefe de administração de recursos da Reserva e Parque Histórico Nacional Jean Lafitte, onde se encontra a reserva de Barataria, a 20 km ao sul da cidade.

Trezentas espécies de plantas, assim como milhares de aves e sapos, habitam esses manguezais silvestres conectados ao mar por rios.

Esse frágil ecosistema funciona como um "amortecedor de furacões" para comunidades como a de Nova Orleans, afirmou Muth.

"No pior dos casos, o petróleo mataria as plantas, as raízes e depois o lugar desapareceria, como resultado da erosão", completou.

De toda forma, os manguezais da costa de Louisiana estão desaparecendo a ritmo frenético desde que os franceses começaram a construir diques ao redor do rio Mississipi em 1721.

Hoje, o quarto maior rio do mundo passa pela região deixando sedimentos nutritivos no fundo dos manguezais.

"Para permitir que os barcos passem, dragamos o rio Mississipi e mudamos a direção do rio. Não deixamos que os manguezais se nutram mais", lamentou Muth.

Como resultado, uma média de 65 km quadrados de manguezais desaparece a cada ano, o equivalente a um campo de futebol a cada 20 minutos, segundo o especialista do Golfo do México, Larry McKinney, da Universidade do Texas.

"Com o Katrina, 350 km quadrados dos manguezais desapareceram da noite para o dia. Nunca retornaram. Estão debaixo d'água agora", informou.

Muth espera que o petróleo derramado no mar depois da explosão da plataforma Deepwater Horizon a 80 km da costa de Louisiana, em 20 de abril, perca cada dia mais sua nocividade devido ao calor, à luz do sol, ao sal e às bactérias da água.

"Mas se uma grande quantidade de petróleo cobrir os manguezais, as plantas morrerão", alertou.

Nenhum comentário:

Veja Também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Edna MarS"